• Equipe Sputnik Consulting

A Rússia está pronta para ajudar a Sérvia a manter a soberania


Isto foi afirmado pelo primeiro-ministro da Rússia Dmitry Medvedev, o qual observou que Moscou quer que a situação nos Bálcãs permaneça estável e segura e sejam desenvolvidas relações com todos os estados regionais




BELGRADO, 19 de outubro / TASS /.


A Rússia espera que os Bálcãs continuem sendo uma área estável e segura e está pronta para apoiar a Sérvia a manter sua soberania e integridade territorial, disse o primeiro-ministro russo Dmitry Medvedev no sábado, em seu discurso à Assembléia Nacional da Sérvia (parlamento).


"A Rússia apóia o povo da Sérvia e está pronta para fornecer qualquer assistência possível para ajudar a preservar a soberania e a integridade territorial", disse Medvedev, acrescentando que Moscou está interessada em "uma solução exclusivamente pacífica para o problema atual [na região] com base na Resolução 1244 do Conselho de Segurança das Nações Unidas." "Queremos que a situação nos Bálcãs permaneça estável e segura e procuramos desenvolver relações com todos os estados [regionais]", acrescentou o primeiro-ministro russo.


Acordo de comércio livre da União Econômica da Eurasia com a Sérvia


Ele também informou que o acordo de livre comércio entre a União Econômica da Eurasia (EAEU) e a Sérvia deve ser assinado em 25 de outubro. "Em alguns dias, em 25 de outubro, esperamos ver sua primeira-ministra, Ana Brnabic, em Moscou. Espero que nossas conversas resultem na assinatura do acordo de livre comércio entre a República da Sérvia e a União Econômica da Eurasia", disse Medvedev.


Recorde:


Discussões sobre partilha territorial emergiram em 2018 como possível base para um acordo de “normalização” de relações entre Sérvia e Kosovo. Meses depois, na época do vigésimo aniversário de encerramento da Guerra do Kosovo (10 de junho de 1999), demonstrações e ameaças de força, bem como a retórica inflamada, afirmaram-se como recursos para demarcação de posições antagônicas sobre a região em disputa. Simultaneamente, potências ocidentais pressionam por acordo que reforce sua influência nos Bálcãs.

15 visualizações