• Equipe Sputnik Consulting

Bielorrússia: de país isolado a centro estratégico na ligação China-Europa



Cidades de Grodno e Brest como pólos estratégicos na ligação China-Europa

Tanto através da recepção de carga vinda da ferrovia como da rodovia, a Bielorrússia vem-se transformando paulatinamente num dos entrepostos logísticos mais vitais na ligação entre a potência asiática e o velho continente. O potencial de hub do país poderá ser exponenciado recorrendo às cidades de Grodno e Brest (perto da fronteira com a Polónia), convertendo-as em pólos de transhipment para a carga asiática.

Grodno é actualmente uma cidade dotada de um poder logístico assinalável, sendo um hub ligado ao tráfego de veículos pesados, ao passo que Brest tem o potencial para ser o maior elo ferroviário entre a Ásia e a Europa. A China deposita elevadas esperanças no potencial logístico da Bielorrússia, considerando-a um «grande armazém» para as mercadorias orientais – daí o avultado investimento chinês no país do Leste europeu.

Bielorrússia: um «grande armazém» que responderá por 10% da carga chinesa destinada à Europa

Para o experiente analista Andrei Aksyonov, a localização do país afigura-se como uma porta de entrada da Europa para os produtos e comercializações chinesas, para além de representar um entreposto de grandes dimensões que alimentará, cada vez mais, o continente europeu. De acordo com as mais recentes estimativas, a Bielorrússia poderá ser responsável por cerca de 10% da carga movimentada entre a China e a União Europeia (por rodovia e ferrovia) entre os anos de 2020 e 2022.

#comerciointernacional #Bielorrússia #China

8 visualizações