• Equipe Sputnik Consulting

As origens soviético-comunistas do Dia Internacional da Mulher.



A forma como celebramos o Dia da Mulher na sociedade ocidental é um pouco fraca em comparação com a forma como o fazem na Rússia - o que pode ter algo a ver com o fato de que os soviéticos basicamente inventaram o feriado. Muito antes de o mundo ter o Dia Internacional da Mulher, a Rússia Soviética teve o "Dia da Mulher Trabalhadora", onde foi declarado pela primeira vez um feriado nacional em 1917. As Nações Unidas não adotaram a celebração de 8 de março até 1975, quando se tornou oficialmente internacional. No Ocidente, e o elemento “trabalhador” associado aos comunistas foi retirado às pressas do título do feriado. Podemos encontrar uma abundância de cartões vintage da era soviética celebrando o 8 de março…


Curiosidade: A URSS instaurou o sufrágio universal antes dos Estados Unidos, e é interessante refletir sobre alguns dos primeiros valores comunistas que estavam muito alinhados, se não mais avançados do que a sociedade ocidental moderna até hoje… Imediatamente após a revolução russa de 1917, a URSS estabeleceu salários iguais para homens e mulheres, bem como o direito ao aborto em 1920 - tornando-se o primeiro país a fazê-lo, mais de 50 anos antes dos Estados Unidos. As mulheres russas foram as primeiras a contar com 16 semanas de licença-maternidade paga, bem como os mesmos direitos matrimoniais de seus maridos, uma lei contra a demissão de mulheres grávidas e pós-parto e não esquecer o acesso a clínicas especializadas de maternidade, aconselhamento e serviços de creches. Sob o governo comunista de Vladimir Lenin, as primeiras posições ministeriais femininas do mundo foram nomeadas. O Dia Internacional da Mulher Trabalhadora nasceu após uma manifestação de mulheres em 8 de março de 1917 em Petrogrado. Foi a manifestação que desencadearia a Revolução Russa ...Os manifestantes se uniram em uma revolta contra o racionamento de alimentos implementado pelo governo, exigindo o fim da escassez de alimentos na Rússia, o fim da Primeira Guerra Mundial e o fim da autocracia.


As mulheres foram particularmente ativas em sua oposição ao sistema de racionamento implementado, e as trabalhadoras marcharam para fábricas próximas para recrutar mais de 50.000 trabalhadores para um ataque contra o governo que havia começado a racionar farinha e pão para seus cidadãos. Apesar das reuniões e protestos de rua serem estritamente proibidos, quase 200 mil manifestantes encheram as ruas no dia seguinte, exigindo a substituição do czar por um líder político mais progressista. No dia seguinte, quase todas as empresas industriais de Petrogrado foram fechadas pela insurreição. O czar Nicolau II foi abdicou uma semana depois. Hoje, na Rússia, o Dia da Mulher ainda é um grande feriado nacional oficial e um dia de folga para muitas pessoas. No dia 8 de março, homens russos são esperados, quase obrigados (um pouco como o dia das mãe) a mostrar sua apreciação com flores, cartões e presentes para celebrar as conquistas das mulheres. É importante notar que os homens também têm seu próprio feriado, no dia 23 de fevereiro o "Dia do defensor da pátria". Enquanto a sociedade ocidental provavelmente preferiria reivindicar este feriado como sua - a mais antiga celebração do Dia da Mulher foi realizada em Nova York em 28 de fevereiro de 1909 - pode ser interessante notar que essa observância mais antiga foi organizada pelo agora dissolvido Partido Socialista da America. O extinto partido político era em grande parte formado por partidários comunistas (na verdade, o partido perdeu a maioria de seus membros para o Partido Comunista da América). A celebração de 1909 também não era uma celebração formal ou oficial.O primeiro país a declarar o "Dia da Mulher" como feriado nacional foi a Rússia Soviética, seguido pelos comunistas na China de 1922 e depois pelos comunistas espanhóis em 1936. A propósito, na China e na Espanha, o feriado de 8 de março ainda é conhecido como “Dia da Mulher Trabalhadora”. Ironicamente, a Espanha tinha um regime fascista anticomunista até 1975. Quando as Nações Unidas declararam o evento como um feriado internacional oficial, a América ainda estava no meio da Guerra Fria com a Rússia.

Domínio público.

#cultura

0 visualização