• Equipe Sputnik Consulting

Parapsicologia na URSS



I

  1. Relatos de estudos de parapsicologia na Rússia vem desde a metade do século XIX. De acordo com MARTIN EBON, em seu livro “PSI IN THE USSR, RELIGION WITHOUT A CROSS", cientistas russos e leigos investigaram vários fenômenos parapsicológicos por décadas antes da Revolução de Outubro de 1917.

  • De 1857 a 1867, o jornal “VESTNIK EUROPY” em São Petersburgo aparecia com temas sobre com médiuns e fenômenos inexplicáveis.

  • O fenômeno médium foi reexaminado em sua veracidade por volta de 1860 por um comitê especial da Sociedade de Física da Universidade de São Petersburgo, a qual foi fundada para este propósito, e uma disputa levada a diante entre Mendeleev e o então proeminente espiritualista A. N. Aksakov sobre os pressupostos e metodologias do estudo. Mendeleev abertamente expos a fraude dos médiuns.

  • O relato mais antigo conhecido sobre experimentos de telepatia na Rússia foi descrito por EBON em seu livro, experimentos de telepatia em Tashkent através de Alexander Wilkins por volta de 1870 e foi publicado em Paris no “Anais da Ciência Física”.

  • A sociedade Russa para Psicologia Experimental” foi fundada em 1891. Ela estava interessada em clarividência, psicometria e fenômeno poltergeist. O materialismo conduziu a busca pelo novo, e não verdades religiosas. Hipnoses, e suas conexões com “fantasmas” e sequências inexplicáveis tal como transferências de pensamento e outras áreas correlatas eram populares.

  • As pesquisas sobre parapsicologia na Rússia eram mais ou menos as mesmas que haviam nos EUA e Europa durante a Revolução Industrial.

II. EBON lista outros cientistas e trabalhos em parapsicologia os quais ocorreram na União Soviética entre outubro de 1917 e meados dos anos 50.

  • VLADIMIR M. (1922): publicou “Princípios Psico-Químicos das Maiores Energias”, no qual a possibilidade de telepatia comunicacional por funções neurológicas foi estudada.

  • B. B. KASCHINSK: conduziu outro estudo pertinente a telepatia com cachorros e publicou um livro sobre transferência de pensamento em Moscou em 1923.

  • LEONID L. Vasiliev (morto em 1966). Um aluno de BECHTEREV, juntou-se ao Instituto de Pesquisas Cerebrais em Leningrado em 1921, e tornou-se um membro do comitê para estudo de sugestão mental (a expressão para telepatia naquele tempo).

  • Por volta de 1925: O Instituto para Pesquisas Cerebrais em Leningrado começou um estudo sobre a possibilidade da pratica do fenômeno da telepatia de pessoa para pessoa, resultando na conclusão de que o fenômeno da transferência de pensamento não está no ”eletromagnetismo”.

  • A parapsicologia soviética recebeu um grande impulso com uma publicação francesa sobre um suposto teste de indivíduos localizados no mar e em terra onde teria sido usado o submarino nuclear Nautilus. Essas tentativas foram oficialmente negadas pelos americanos.

  • Em abril de 1960, L. L. Vasiliev, de acordo com Shiela Ostrander e Lynn Schroeder no livro “PSI” surpreendeu os cientistas soviéticos, referindo-se aos relatos sobre o Nautilus, por seus inúmeros estudos datados ainda da época de Stalin que ainda não haviam sido publicados. Ele estava convencido de que a descoberta da energia extra sensorial teria o mesmo significado da energia atômica.

  • 1961: L. L. Vassiliev recebeu o líder do primeiro laboratório de energia extra sensorial financiado pelo governo soviético, o Laboratório Especial de Parapsicologia da Universidade de Leningrado.

  • Depois da morte de Vassiliev em 1966, o centro de estudos de parapsicologia soviético foi parcialmente deslocado de Leningrado para Moscou, onde IPPOLIT KOGAN, diretor da Seção de Bio-informação do Instituto de Radiotecnologia e Comunicação Elétrica A. S. Popov estava localizado.

  • EDUARD K. NAUMOV e KARL NIKOLAEV eram conhecidos neste momento por experimentos de telepatia os quais eram conduzidos a distância entre Moscou e Leningrado.

  • No verão de 1968 aconteceu uma conferencia em Moscou “Parapsicologia Tecninca”.

  • NINA KULAGINA e WOF MESSING são as duas “estrelas“ soviéticas mais famosas deste período com um suposto grande talento em parapsicologia. N. KULAGNA fascinou os espectadores com habilidades com as quais movia agulhas, compassos e outros artigos com uma energia que parecia irradiar de suas mãos. W. MESSING entreteve grandes multidões de expectadores com exibições de telepatia em Bann.

  • Em julho de 1970 o jornal russo “radio-technika” publicou resultados de pesquisas sobre o mencionado acima professor KOGAN em Moscou, com o qual supostamente provou a existência de possibilidades telepáticas através de métodos estatísticos.

  • S. OSTRANDER e L. SCHROEDER no livro “PSI” afirmam que em 1970 haviam mais de 30 centros de estudos de fenômenos paranormais na URSS e que em 1967 o governo disponibilizava uma verba de 13 milhões de rublos para esses estudos e chancela oficial, o artigo de VLADIMIR LVOV no jornal LE MONDE (4 de agosto de 1976) negou este reconhecimento oficial na URSS e alegou que não havia institutos dedicados a isso no país e que tais pesquisas na realidade eram desenvolvidas por amadores.

  • De acordo com EBON, essa opinião deixa claro a desagradável situação em que se encontrava a parapsicologia na Rússia neste momento. Ela mantinha um status não oficial mas, indivíduos e grupos privados poderiam levar tais estudos sem uma intervenção oficial do Estado.

III. A literatura que pesquisa esse tema afirma a partir de fontes de arquivos abertos em dezembro de 1990 que por volta de 1968 haviam 27 institutos e/ou outros centros nos quais pesquisadores estavam ocupados com fenômenos paranormais.

Os aspectos da parapsicologia assim como o conceito geral de “ESP”, (em alemão, ASW, e os relatos sobre telepatia, hipnose telepática, clarividência, assim como o conceito de ”psicocinese” (a influencia física de um homem sobre a matéria), o que engloba estudos sobre o biocampo humano, a aplicação do efeito KIRILIAN, e a cura através da imposição de mãos:

Os estudos de telepatia e hipnose telepática, assim como hipnose per se, parecem ser as pesquisas mais desenvolvidas da parapsicologia soviética.

Em 1962 em seu livro sobre estudos experimentais de “sugestão mental”, mostrou a posição avançada de pesquisas pertinentes na URSS. Os esforços voltados para a manipulação telepática de humanos conscientes parecem ter tido um importante papel na telepatia hipnótica. Estudos e aplicações da hipnose foram difundidos na URSS. Isso foi usado na medicina, psicoterapia, fisiologia, psicologia, psiquiatria, e em educação experimental. Além da possibilidade de desenvolvimento e aplicação de drogas para o melhoramento/aumento da hipnose foi pesquisado.

Cientistas soviéticos como L. L. VASILIEV, I. M. KOGAN, V. MUTSCHALL, V. F. BASSIN, M. V. AVAKUMOV, I. D. DUBROVSKI, V. L. RAIKOV e P. A. SLOBODYANIK com seus co-autores tiveram seus nomes no acima mencionado relatório para o período de 1968. Trabalhos excepcionais publicados entre os anos de 1969-1971 por S. A Egorov, P. V. Zagradski, F. D. Mordvinov e N. B. Yakovets e seus co-autores da Academia Médica Militar Kirov em Leningrado foram dedicados especialmente à área de pesquisas fisiológicas em conexão com questões ergométricas e apenas superficialmente tiveram relação com algo de parapsicologia.

Foi reportado várias vezes na imprensa que os militares e a policia secreta estavam por trás dos esforços russos de conseguir bases cientificas para parapsicologia.

Os conteúdos dessas declarações podem nunca vir a ser substanciais e as fontes abertas da literatura soviética sobre parapsicologia também não dão evidencias reais. Certas revelações no passado na URSS fizeram suposições de que pesquisas foram feitas lá, mas tais os resultados das pesquisas foram mantidos em segredo.

Parece que os esforços da parapsicologia soviética de usar a telepatia como um sistema de comunicação entre cosmonautas e entre a terra e os cosmonautas no espaço já eram visíveis nos anos 1950. Em 1967 o jornal russo “Relatório da marinha” escreveu que cosmonautas no espaço podem manter conexão mental entre si mais facilmente que pessoas na terra. Treinamentos neste sentido foram feitos no programa de treinamento de cosmonautas. Supostamente o fenômeno dos experimentos entre cosmonautas soviéticos e cientistas na terra foram conduzidos. As datas e os resultados destes experimentos não foram publicados em fontes abertas da literatura, portanto, uma avaliação concreta destes esforços não é possível.

As informações sobre parapsicologia na URSS e sua aplicabilidade pelos militares e pelo KGB é contraditória, baseada em parte em rumores conflitantes:

Em 1977 um especialista do Instituto Serbski de Moscou declarou em um artigo chamado “Controlado pelo KGB” que apareceu no “Der Spiegel” (4 de julho de 1977) que a parapsicologia na URSS é um sensacionalismo de meias verdades e fantasias jornalísticas. A Parapsicologia não era reconhecida na URSS. A prisão de um jornalista americano naquele tempo com papeis sobre parapsicologia não significa que a parapsicologia era um segredo de Estado. Poderia ser um papel completamente normal do KGB que um jornalista ocidental pegou de um cidadão soviético.

Na URSS as “Capacidades biológicas da mente” foi tema de exaustivos estudos. A palavra-chave para isso é “bioenergia” e “hipersensibilidade”, uma nova corrente cientifica, “psicotrônica” poderia investigar se atualmente há um latente capacidade humana para ativar campos bio-elétricos para conectar-se a distância com objetos e pessoas.

O principio da imposição de mãos” como ferramenta de diagnóstico de doenças foi conduzido pela policlínica do Comitê de Planejamento Estatal da URSS em Moscou a qual está sob a jurisdição do Ministério da Saúde.

Da lista dos institutos os quais se ocuparam com o problema da “natureza do campo bio-elétrico” estão entre outros: “Instituto de Psicologia, Moscou, 37 a, rua Vavilova. (Diretor à época B. F. Lomov), campos de estudo: pesquisas sobre a base material da psique; problemas psicológicos e sua relação com tecnologias modernas; psicofisiologia do cérebro. Estas pesquisas acontecem em cooperação com o “Instituto de atividade neurológica alta e neuropsicologia” de Moscou, e com o departamento de Cinética e processos químicos e biológicos” do Instituto de Química Física (N. N. Semenov), Moscou.

Este projeto também investigou o ”efeito Kirlian”, a prova física da “radiação dos dedos”, que, por exemplo, poderia permitir a prática por leigos de diagnósticos e curas com esse processo particular, desencadeado pela pele do corpo humano ou pela superfície de várias plantas. Um equipamento necessário para provar o “efeito Kirlian” foi desenvolvido e construído no “Escritório de construções especiais” para o “Edifício de aparatos biológicos” em Puschtchino. Conexões com a aplicação da parapsicologia com o estimulo de habilidades psíquicas podem ter sido realizadas no “Instituto de Química Bio-orgânica do Pacífico” em Vladvostok.

A ciência marxista tentou antes de mais nada provar que os fenômenos tinham uma base física explicável. Nesta base, provar a existência de “raios” que partiriam de seres vivos demandaria um grande trabalho de dedicada pesquisa. Da mesma forma, também seria interessante encontrar possibilidades de fortalece-lo e tornar esses “raios” utilizáveis em várias aplicações.

As aplicações seriam dirigidas para vários campos médicos, como diagnósticos e tratamento por uma via relativamente simples e barata.

Em novembro de 1986 um cientista ocidental com boas conexões na pesquisa e aplicação da hipnose médica na URSS transmitiu os seguintes detalhes:

A hipnose médica é usada amplamente na URSS. O trabalho “Química e Hipnose Experimental” de WILLIAM S. KROGER server como base para a “hipnose médica” e é conduzido na URSS pelo Instituto de Psicologia de Moscou, assim como, por algumas filiais na Sibéria. A hipnose vai ser inseria em uma série de operações médicas, mas, principalmente, para o alivio e eliminação da dor, além disso, foi ensinado a vários grupos as bases da assim chamada “influencia hipnótica”, cientistas, organizações com interesses especiais em países ocidentais e cosmonautas tiveram 3 meses de treinamentos. Se uma pessoa tenta obter uma “memória fotográfica”, isso a habilitaria a recapturar fielmente imagens e áudios de muito tempo atrás.

Uma vez que estes conteúdos de “serviços de informação” que se referem a um emaranhado de interesses militares e do KGB é tudo que sabemos e ao mesmo tempo apenas parcialmente provado, tais informações não podem ser julgadas inquestionáveis.

#ciência #História

0 visualização