• Equipe Sputnik Consulting

Putin encontra Zelenskiy da Ucrânia pela primeira vez na Cúpula de Paz de Paris

O presidente russo Vladimir Putin se encontrou com seu colega ucraniano Volodymyr Zelenskiy pela primeira vez na segunda-feira em uma cúpula em Paris, com o objetivo de avançar os esforços para restaurar a paz no leste da Ucrânia. Zelenskiy e Putin estão conversando com os líderes da França e da Alemanha em um esforço renovado para acabar com um conflito que matou mais de 13.000 pessoas desde 2014. Os diplomatas, no entanto, advertem que as perspectivas de paz são sombrias, com Zelenskiy, um comediante que se tornou presidente, politicamente restrito em casa e cauteloso em ceder demais, e Putin mostrando pouco interesse em ceder à pressão externa.



Putin e Zelenskiy entram na sala para uma reunião dos quatro líderes fazendo pouco contato visual e sem sorrisos Mikhail Metzel / TASS


Após uma série de reuniões bilaterais no Palácio do Eliseu, Putin e Zelenskiy entraram na sala para uma reunião dos quatro líderes que faziam pouco contato visual e sem sorrisos. Eles não apertaram as mãos para as câmeras. "A questão principal é sobre a construção de confiança, para que possamos avançar em direção ao objetivo de restaurar a soberania da Ucrânia", disse uma fonte diplomática francesa.


Há poucos sinais de uma solução pacífica para a crise, apesar do acordo de cessar-fogo de 2015 em Minsk. A cúpula desta segunda feira, 09, é a primeira vez que os quatro líderes se encontram no formato da Normandia desde 2016.


A cúpula acontece em um momento em que as propostas de Macron a Putin para restabelecer as relações enervaram os aliados europeus, em particular as elites políticas de ex-países comunistas da Europa Central e Oriental que apreciam sua adesão à União Européia e dependem fortemente da OTAN. Autoridades francesas dizem que a cúpula de Paris é um teste para a estratégia de Macron. "Por mais que eu seja cético em relação à visão de Macron sobre a Rússia, teria sido um erro não tentar desbloquear o impasse do Donbass durante a cúpula da Normandia. Agora vamos ver o que dá (ou não)", disse Brune Tertrais, vice-diretor de a Fundação de Pesquisa Estratégica, com sede em Paris. A chave para o êxito dos acordos de Minsk são as eleições na disputada região de Donbass, leste da Ucrânia, dizem diplomatas. Mas ambos os lados se acusam de não cumprir o acordo de 2015, que inclui restaurar o controle do estado ucraniano sobre toda a fronteira com a Rússia e a retirada de armamento pesado da zona de conflito.



Com conteúdo themoscowtimes.com

13 visualizações