Posts Em Destaque

Grande conferência de imprensa de Vladimir Putin 2020. O principal.


O presidente russo, Vladimir Putin, deu sua entrevista coletiva anual nesta quinta feira, 17 de dezembro de 2020. E neste ano de pandemia foi realizada em um novo formato - videoconferência com elementos de linha direta. Em sua introdução, o chefe de Estado admitiu que para ele "não há nada mais valioso do que a comunicação direta com nosso povo, com os cidadãos da Federação Russa".



Conferência de imprensa anual de V. Putin 2020. Serviço de Imprensa do Presidente da Federação Russa / TASS


Sobre pandemia e vacinação

A Rússia enfrentou a pandemia com dignidade e a superou em parte melhor do que outros países, disse o presidente. Segundo ele, o declínio econômico foi menor do que nos Estados Unidos e nos principais países europeus e o sistema de saúde funcionou com mais eficiência.

Ele considerou necessária a vacinação em massa contra o coronavírus e prometeu se vacinar o mais rápido possível junto com pessoas de sua idade.

O chefe de estado lembrou que o nível de proteção que a vacina russa contra o coronavírus proporciona chega a 97%.

A medicina russa provou ser mais eficaz na luta contra o coronavírus do que em outros países, disse Putin.

Sobre o aumento dos preços e da economia

O Presidente disse que o governo tem de reagir antecipadamente à subida dos preços dos alimentos, quando for possível influenciá-los pelos métodos de mercado. Agora, segundo ele, “o principal é não exagerar”. Putin disse que a alta dos preços lhe doeu pessoalmente, especialmente tendo como pano de fundo o sucesso da agricultura.

De acordo com o presidente, o PIB caiu 3,6%, valor inferior ao dos Estados Unidos e de todos os principais países europeus. A produção industrial "fisgou" 3%, principalmente por conta do setor de combustíveis e energia, mas a produção agrícola - cresceu 1,8%, até o final do ano o crescimento pode chegar a 2%.

O desemprego devido aos efeitos da pandemia aumentou de 4,7 para 6,3%, mas os salários reais podem aumentar 1,5%.

Putin especificou que a Rússia "está começando a deixar o vício do petróleo e gás". Segundo ele, “70% do orçamento russo não é mais formado à custa das receitas do petróleo e do gás”.

Em geral, observou o presidente, os problemas da economia russa devido à pandemia, segundo várias estimativas, devem ser superados no final de 2021 - primeiro trimestre de 2022.

Sobre pagamentos para crianças e indexação de pensões

Famílias com crianças até o ano novo receberão outros 5.000 rublos do estado para cada criança de até sete anos de idade, disse o presidente.

As pensões do seguro de velhice para aposentados que não trabalham serão indexadas em 2021 acima da inflação em 6,3%, disse Putin. Segundo ele, a retomada da indexação das pensões dos aposentados ativos é possível mediante previsão orçamentária.

Interferência eleitoral internacional

O chefe de estado está confiante de que estranhos tentarão interferir nas eleições russas em 2021, mas a Federação Russa está se preparando para isso. Segundo ele, o principal é que os russos "tenham certeza de que as eleições são abertas, com transparência e que seus resultados merecem respeito".

Ao mesmo tempo, Putin enfatizou que os hackers russos não interferiram nos assuntos internos dos Estados Unidos e não ajudaram o atual Presidente deste país, Donald Trump. O presidente acredita que tais suposições são "tudo especulação, todas essas são razões para estragar as relações entre a Rússia e os Estados Unidos".

Relações com os Estados Unidos e a situação na Ucrânia

Putin espera que pelo menos alguns dos problemas nas relações entre a Rússia e os Estados Unidos comecem a ser resolvidos sob o governo de Joe Biden. O líder russo lembrou que o atual líder americano, Donald Trump, tem grande apoio dentro do país e, pelo que Moscou entende, não vai sair da vida política.

As perspectivas para o desenvolvimento das relações ucraniano-russas dependem em grande parte da posição do oficial Kiev, disse ele. O líder russo ressaltou que os acordos de Minsk não podem ser revisados, eles têm força de lei internacional.

Sobre investigações sobre sua família e o incidente com Navalny

O presidente chamou a investigação sobre o incidente com Alexei Navalny de uma legalização de materiais dos serviços especiais americanos. Segundo ele, Navalny, que está em tratamento na Alemanha, conta com o apoio dos serviços especiais americanos, mas isso "não significa que deva ser perseguido".

Ele comentou sobre “investigações” sobre sua vida. O chefe de Estado está convencido de que os autores de histórias sobre ele e sua família são representantes do Departamento de Estado e dos serviços de inteligência dos Estados Unidos. Segundo ele, o objetivo é tentar influenciar a opinião pública do país para interferir na vida política interna.

Putin exortou os promotores das falsificações a não se basearem exclusivamente em imaginações, mas a construir relações com base no respeito e no direito internacional.

Sobre o caso de Furgal e as acusações de Safronov

O presidente disse não ter problemas com o ex-governador do Território de Khabarovsk, Sergei Furgal, que foi preso no caso de homicídios cometidos por encomenda. Segundo Putin, o ex-chefe da região "era geralmente leal ao governo federal". Ele garantiu que o processo criminal contra Furgal não foi um processo político.

As acusações de traição contra o assessor do chefe da Roscosmos, o ex-jornalista Ivan Safronov, não têm relação com suas atividades jornalísticas, disse Putin. O chefe de estado referiu que o processo penal "está associado a um período bastante longo da sua atividade, tanto no quadro do assessor Rogozin, quando trabalhou no governo, como na Roscosmos".

O presidente, respondendo a uma pergunta do jornalista do Kommersant Andrei Kolesnikov, classificou a traição como o pecado mais grave.

O sistema judicial e de aplicação da lei da Rússia deve ser politicamente imparcial e tratar a todos com igualdade, afirmou Putin.

Sobre os planos para 2024 e as relações com os líderes mundiais

Putin ainda não decidiu se vai concorrer às eleições de 2024. O presidente frisou que "formalmente, essa permissão é do povo".

Putin disse que nunca divide os líderes de outros países em bons e maus e está pronto para trabalhar com todos para resolver problemas e alcançar o melhor resultado para a Federação Russa.

O presidente observou que frequentemente discorda do líder turco Recep Tayyip Erdogan, mas este mantém sua palavra.

Sobre Nord Stream 2 e a gaseificação do país

O Presidente expressou confiança de que a construção do gasoduto Nord Stream 2 será concluída. Ele observou que este projeto é economicamente vantajoso para a Europa e, em particular, para a Alemanha. O chefe de estado disse ainda que a Rússia espera que os EUA respeitem o projeto.

A gaseificação de aldeias na Rússia vai avançar em ritmo superior, até 2025 seu nível no país como um todo chegará a 90%, garantiu Putin.

Sobre a abertura das fronteiras e o turismo doméstico

O chefe de Estado prometeu que a Rússia abriria suas fronteiras "o mais rápido possível", assim que os médicos permitirem. Putin observou que os turistas russos gastam muito no exterior, e se começarem a gastar esse dinheiro no mercado interno, "será ótimo".

Como parte do apoio à indústria, os fundos não gastos para o programa de reembolso turístico serão transferidos para o próximo ano - apenas 1,2 bilhão dos 15 bilhões de rublos alocados foram gastos nisso.

Sobre a situação no espaço pós-soviético

Putin acredita que no Quirguistão eles estão constantemente se adiantando nas tentativas de organizar a vida pelo exemplo de outros países. Ele observou que “o nível de consciência política, o nível de maturidade das instituições não é o mesmo que, digamos, na França”.

A Rússia como um todo defende a retirada de suas forças de paz da Transnístria, mas "para isso, a situação apropriada deve amadurecer".

Quanto à Bielo-Rússia, a oposição lá é apoiada do exterior e nada de bom sai disso, disse Putin.

O território de Nagorno-Karabakh faz parte do Azerbaijão do ponto de vista do direito internacional, disse o líder russo. Ele não acredita que o conflito estourou novamente este ano devido à intervenção de forças externas. O presidente chamou a preservação da vida das pessoas de o principal resultado dos acordos, o resto é secundário.




FONTE:

https://tass.ru/politika/10281129




Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Instagram Social Icon