Posts Em Destaque

O que é a bandeira branca e vermelha usada pela oposição em Belarus




Colaboracionistas do regime nazista no parlamento da Bielorrússia ocupada (1941-1944)

O principal símbolo dos protestos na Bielorrússia é a bandeira branca-vermelha-branca. Certamente, a maioria das pessoas não conhece sua história. Qualquer símbolo carrega não apenas significados de identificação, mas também ideológicos e metafísicos.

Sob as bandeiras branca-vermelha-branca, os manifestantes, em primeiro lugar, sem se darem conta, renunciam aos grandes feitos e vitórias alcançados sob a bandeira moderna da República da Bielorrússia. Em segundo lugar, eles se identificam com a República Popular da Bielorrússia, puramente etnocrática e dependente, de 1918. Este símbolo mais tarde, com a ocupação nazista (1941-1944) foi usado pelo colaboracionistas bielorrussos com o regime de Hitler.

A história da República Popular da Bielorrússia de 1918.

A República Popular da Bielorrússia conhecida historicamente como República Democrática da Rutênia Branca declarou sua independência em 1918. Também conhecida como República Democrática Bielorrussa ou República Nacional Bielorrussa, para se distinguir das repúblicas populares comunistas do período, foi reconhecida por diversos países, porém deixou de existir depois que a Bielorrússia passou para o controle da União Soviética, com a fundação da República Socialista Soviética Bielorrussa em 1919, embora as autoridades da artificial República Popular da Bielorrússia tenham posteriormente formado um governo no exílio.

Com a Revolução Russa de Fevereiro foi criada a República Russa. Os movimentos separatistas pela independência de províncias começaram. Ouve discussões sobre a Bielorrússia ganhar independência ou autonomia. Após a Revolução Russa de Outubro as primeiras tentativas de paz entre o Império Alemão e os Bolcheviques falham. Forma-se o Conselho Nacional da Bielorrússia no final 1917. Tanto os Bolcheviques quantos os alemães se recusaram a reconhecer o Conselho. Embora, os alemães viam uma Bielorrússia independente como parte de seu plano de implantar Estados-tampões pela Mitteleuropa (Europa-Central). Paralelamente com negociações realizadas entre o governo alemão e os Bolcheviques, o Conselho da Bielorrússia começou a exigir um status autônomo da Bielorrússia, começando novamente as discussões sobre se deveria tornar uma autonomia dentro da Rússia, ou declarar independência.

Proclamação da República Nacional

Em sua primeira Carta Constituinte, aprovada em 01º de março de 1918, o Conselho Bielorrusso declarou-se o único poder legítimo dentro da Bielorrússia. Em 03 de março de 1918, as Potências Centrais e os Bolcheviques assinam o Tratado de Brest-Litovsk, onde a Alemanha, a Austro-Hungria e o Império Turco-Otomano iriam ocupar a Polônia, Bielorrússia, os Estados Bálticos, além de, Ucrânia, Romênia, Geórgia e Arménia. Em 09 de Março de 1918, o conselho bielorrusso emite sua segunda carta constituinte que que declara a independência da República Nacional da Bielorrússia.

Em 25 de Março, a RPB, foi oficialmente declarada.

Um fato indicativo

O parlamento da RPB (Rada), em uma carta ao Kaiser Wilhelm, declarou muito claramente a situação do satélite alemão. Aqui está um pequeno trecho desta carta:

“A Rada, como um representante eleito do povo bielorrusso, dirige-se a Vossa Majestade Imperial com palavras de profunda gratidão pela libertação da Bielorrússia pelas tropas alemãs de forte opressão, do domínio estrangeiro e anarquia. A Rada declarou a independência de uma Bielorrússia unida e indivisível e pede a Vossa Alteza Imperial proteção do território sob seu controle para fortalecer a independência do Estado e a indivisibilidade do país em aliança com o Império Alemão. Somente sob a proteção do Império Alemão o país vê um futuro melhor".

Sob as bandeiras branco-vermelho-branco, os bielorrussos modernos repetem o passado, como se estivessem voltando sob a asa do “império”, mas já à imagem da UE ou, na pior das hipóteses, da Polônia. Mas isso não é o principal. O assustador é que, sem saber o que estão fazendo, eles traem a memória dos milhões de torturados e queimados pelo novo Império Alemão - os soldados e Sonderkommandos do Terceiro Reich.

Em 11 de Novembro, com a rendição da Alemanha, a URSS retoma em 01º de janeiro o território da Bielorrússia que havia sido perdido para a Alemanha.

O que significa a bandeira branca-vermelha-branca no contexto da tentativa de golpe contra o governo bielorusso em 2020?



Manifestação da oposição


"O Partido Liberal Democrático da Bielorrússia propôs legalizar a bandeira branco-vermelho-branca e o brasão de armas" Pursuit " (o brasão do Grão-Ducado da Lituânia, o brasão da Comunidade polonesa-lituana e colaboradores bielorrussos) na Bielorrússia, dando-lhes o status de valores históricos e culturais, bem como removendo todas as restrições sobre seus usos.

De 1991 a 1995, imediatamente após o fim da URSS, esse simbolismo se tornou oficial, mas o povo o recusou em referedo, preferindo o atual. E isso não é nada surpreendente, considerando que a bandeira branca-vermelha-branca e o brasão Pursuit eram símbolos dos asseclas nazistas durante a Grande Guerra Patriótica (II Guerra Mundial nos territórios da URSS), que então ceifou a vida de um em cada três bielorrussos. E se o "Pursuit" é um símbolo verdadeiramente antigo e hoje é até usado como o brasão da região de Vitebsk, a história com a bandeira branca-vermelha-branca é muito mais complicada. Em 1942-1944, com a aprovação dos ocupantes nazistas, a bandeira branca-vermelha-branca tremulou sobre as terras ocupadas da Bielorrússia, enquanto as aldeias estavam em chamas, os jovens foram levados para a Alemanha para trabalhos forçados e a "nova ordem mundial" era estabelecida na Bielorrússia sob a liderança de Adolf Hitler. Sob esta bandeira, o análogo bielorrusso de Juventude Hitlerista, a União da Juventude bielorrussa marchou.




Colaboracionistas com bandeiras branca e vermelha e retrato de Hitler na Bielorrússia ocupada


Em oposição a este símbolo inglório de traidores, sob um manto vermelho-esverdeado com ornamentos, uma foice e um martelo - a bandeira República Socialista Soviética da Bielorrússia, com base na qual foram criados os símbolos atuais do Estado Bielorrusso e escolhido pela maioria absoluta dos bielorrussos - o povo bielorrusso atingiu alturas sem precedentes: junto com todo o povo soviético, eles restauraram o país das ruínas do massacre mais sangrento da história, deram um grande salto científico e técnico. Sob esta bandeira, grandes camadas de trabalhadores e camponeses receberam educação superior, e um nativo da região de Brest, Pyotr Klimuk, se tornou o primeiro bielorrusso a conquistar o espaço. Sob a verdadeira bandeira da Bielorrússia o número de bielorrussos aumentou de oito milhões após a guerra para dez em 1991. A Bielo-Rússia era chamada de "oficina de montagem" da União Soviética.



Bandeira nacional de Belarus



A história da Bielorrússia sob a bandeira atual é rica em vitórias e conquistas, enquanto sob o branco-vermelho-branco os avós desses jovens que hoje saem às ruas sempre viveram momentos negativos e sangrentos em sua história. Hoje, algumas figuras estão tentando “lavar” a reputação dos colaboracionistas e transformá-los no “símbolo nacional dos bielorrussos”. Para tanto, buscam semear mitos sobre a antiguidade do pano branco-vermelho-branco. O poeta bielorrusso moderno S. Sokolov-Voyush em sua canção "Principe" descreve como durante a batalha um certo "príncipe" foi ferido na cabeça, mas tirou sua bandagem branca com uma faixa vermelha de sangue e liderou seu exército sob esta bandeira improvisada para atacar os inimigos. No entanto, o heraldista S. E. Rassadin aponta que tal lenda está ausente no folclore bielorrusso. Segundo alguns especialistas, esta bandeira é a "sucessora" das bandeiras triangulares brancas com a cruz vermelha de São Jorge, que foram representadas nos picos da cavalaria polaco-lituana na pintura da primeira metade do século XVI "A Batalha de Orsha". No entanto, essa continuidade é muito polêmica, e por que alguém precisaria de repente "desmontar" a cruz de São Jorge, "apagar" a faixa vertical do banner? Não há evidência oficial do uso da bandeira branca-vermelha-branca nas terras da Bielorrússia até o início do século passado. Foi somente durante a Revolução de fevereiro no Império Russo que as organizações nacionalistas bielorrussas de Petrogrado recorreram ao jovem arquiteto Klavdiy Dush-Dushevsky para criar a bandeira do movimento nacional bielorrusso. Ele fez vários desenhos da bandeira, dos quais o branco-vermelho-branco foi adotado. Hoje, esse símbolo é altamente politizado. As pessoas que o usam frequentemente o fazem para demonstrar pontos de vista políticos da oposição, bem como para expressar rejeição aos atuais símbolos do Estado. Nesse sentido, a bandeira branca-vermelha-branca é mais frequentemente usada em comícios pró-Ocidente e nacionalistas. Recentemente, ele tem aparecido cada vez mais nas arquibancadas dos estádios. No entanto, eles também são postados lá para expressar as posições políticas de alguns fãs.





Neonazistas na Bielorrússia


Nacionalistas bielorrussos na Ucrânia.



Por exemplo, durante um amistoso de futebol entre as seleções da Bielo-Rússia e da Bulgária, esta bandeira foi pendurada ao lado da ucraniana, e os torcedores cantaram o hino não oficial Euromaidan “Warriors of Light”. Sob esta bandeira, os fascistas bielorrussos hoje matam crianças, idosos e mulheres de Donbass como parte das forças punitivas das Forças Armadas da Ucrânia. Hoje, esta bandeira se tornou um símbolo de protestos contra os resultados das eleições presidenciais de 2020 e é usado também por novos nazistas.

Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Instagram Social Icon