Posts Em Destaque

Oeste21. O mega exercício militar do Estado da União (Rússia e Bielorrússia)

"Oeste-2021" tem principal objetivo é elaborar e melhorar a interação dos militares da Rússia e da Bielorrússia para fins de sua própria segurança.



Teste de Defesa

De acordo com o Ministério da Defesa da Rússia, cerca de 200 mil militares, incluindo dos países da Organização do Tratado de Segurança Coletiva (CSTO) e da Organização de Cooperação de Xangai (SCO), estão participando dos exercícios estratégicos conjuntos Oeste-2021.

As manobras envolveram mais de 80 aeronaves e helicópteros, até 760 unidades de equipamento militar, incluindo mais de 290 tanques, mais de 240 canhões, vários sistemas de foguetes de lançamento e morteiros, bem como 15 navios. Ações práticas das tropas no âmbito dos exercícios foram lançadas simultaneamente em 14 campos de treinamento na Rússia e na República da Bielorrússia, bem como no Mar Báltico.

Esta é a etapa final do ciclo de quatro anos de exercícios conduzidos pelo exército russo, que foram precedidos pelos exercícios Vostok-2018, Center-2019 e Kavkaz-2020.

O principal objetivo do Zapad-2021 é treinar ações conjuntas das Forças Armadas dos dois países no interesse de garantir a segurança militar do Estado da União (Rússia e Bielorrússia). Ao desenvolver um cenário para o exercício, baseado em um ataque surpresa por extremistas no território da Rússia e Bielorrússia, foram utilizadas abordagens modernas para o uso de tropas.

Segundo o vice-ministro da Defesa da Rússia, Yunus-Bek Yevkurov, durante a fase ativa, elementos da experiência das hostilidades na Síria e em Nagorno-Karabakh estão sendo trabalhados nos campos de treinamento dos dois países. Além disso, todas as tarefas práticas são realizadas com tecnologia russa.

O objetivo é justamente manter as forças armadas preparadas e condições de pronta resposta tanto na Bielorrússia como no território da Federação Russa. Em cada ponto existem grupos de analistas que observam prós e contras, e trabalham para acertar novas estratégias.

Na Rússia, os principais eventos da fase ativa de "Oeste-2021" ocorreram na região de Nizhny Novgorod no campo de treinamento Mulino. Pela primeira vez na história.As manobras do exército russo foram assistidas por grupos móveis de defesa antiaérea anti-drones, bem como o batalhão de robôs de combate Uran-9.

Na República da Bielorrússia, uma operação de treinamento em grande escala impressionante ocorreu no campo de treinamento Obuz-Lesnovsky na região de Baranovichi. Unidades de assalto aerotransportadas apoiadas por helicópteros de ataque Mi-24 e Ka-52, caças Su-30, aeronaves de ataque Su-25 e bombardeiros Tu-22M3 participaram na Bielorrússia. No solo, os sistemas de foguetes de lançamento múltiplo Tornado, veículos de combate do sistema lança-chamas pesado Solntsepek, tanques T-72B3, T-80 e T-90UBKh foram testados contra alvos.

No Mar Báltico, como parte da fase ativa de "Oeste-2021", os fuzileiros navais fizeram incursões na costa sob a cobertura da aviação. Pilotos de Su-27 aprimoram manobras e precisão de tiro. Além disso, de acordo com dados dos campos de batalha de treinamento, o batalhão de mísseis costeiros da Frota do Báltico treinou a eliminação de um destacamento de navios de assalto.

Um evento dessa escala é único em muitos aspectos. Seu alcance, a composição dos Estados participantes, o número de pessoal e equipamentos envolvidos indicam a crescente importância do treinamento conjunto forças armadas destes países.


Ameaças imaginárias e ataques de pânico

Em 9 de setembro, em Moscou, em uma entrevista coletiva após conversas com Alexander Lukashenko, o presidente Vladimir Putin disse que o exercício Oeste-2021 não era dirigido contra ninguém. Ele explicou que a realização de exercícios conjuntos "é lógica em condições em que outras associações, a OTAN, por exemplo, estão ativamente aumentando sua presença perto das fronteiras do Estado da União e do espaço CSTO."

Em uma reunião dos chefes dos departamentos militares dos estados membros da SCO, o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, anunciou oficialmente que o Oeste 2021 é puramente defensivo por natureza. O Ministério da Defesa da Bielorrússia adere à mesma posição, acrescentando que os exercícios têm o objetivo de demonstrar aos vizinhos ocidentais a futilidade de falar de uma posição de força com a Bielorrússia, a Rússia e outros países membros do CSTO.

No entanto, alguns políticos ocidentais e a imprensa continuam a argumentar que o Oeste-2021 é uma séria ameaça aos países ocidentais. E esses medos imaginários tornaram-se mais frequentes nos últimos anos. Conforme relatado pela TASS, houve declarações de que nos exercícios supostamente "uma cabeça de ponte está sendo preparada para a ocupação da Lituânia, Polônia ou Ucrânia".

O "Vostok-2018" foi acusado pelos militares dos Estados Unidos de ser insuficientemente transparente. Depois do Center-2019, que cobriu um vasto território desde as fronteiras sul e leste da Rússia até o Oceano Índico, Washington acusou Moscou de colocar pressão sobre os países da região do Cáspio, disse o especialista militar Alexei Leonkov. Nos últimos anos, essa tradição se desenvolveu - quaisquer exercícios organizados pelas forças armadas russas são vistos pela comunidade europeia como uma ameaça.

O departamento de defesa russo diz que os exercícios Zapad-2021, como todos os anteriores, estão abertos a observadores e jornalistas internacionais. Em conformidade com os acordos internacionais baseados no Documento de Viena, todos os Estados participantes da OSCE receberam notificação prévia de atividades militares e, em agosto deste ano, os observadores internacionais também receberam um convite. E quem quis foi recebido. Mais de 120 representantes militares de 45 países estrangeiros acompanham a fase ativa dos exercícios.




Kalashnikov é importada por Sputnik Comercial